sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Hoje faço 44 anos..

Hoje estou de parabéns. Faço 44 anos!
Muitos para alguns, poucos para outros. Para mim são exactamente 16.060 dias, nem mais…nem menos!
Gosto de fazer anos, receber prendas, abraços e beijos.
Gosto de acordar cedo neste dia, observar o espelho e dedicar-lhe um sorriso de orelha a orelha. Desprezo as rugas, a flacidez e o embaciado da minha pele e como hoje nada me entristece, até o próprio espelho desiste de me impressionar com estes pormenores.
Neste dia gosto muito mais de mim, de ti e até daquele.
Gosto de receber um telefonema de quem está longe ou um postal mesmo que seja do vizinho. Gosto deste dia seja segunda ou sexta-feira, trovoe ou faça sol…gosto, porque gosto. Gosto de fazer anos…apenas e só isso.
Neste dia, gosto de me ouvir dizer:”gosto de ti”, mesmo que as medidas físicas não sejam as desejadas, com cabelos brancos ou pintados…gosto e pronto.
Neste dia nunca me deixo para segundo plano, sinto sempre saudades minhas e mesmo que vá embora de mim…vou-me buscar e aperto-me até me sentir.
Neste dia, o pensamento embate nas vontades e juntos sobrevoamos a aridez das pessoas sem causar apertos. Nada me entristece ou deprime…o dia invade-me duma forma inexplicável, enche-me de vaidade pela pessoa que ajudei a ser. Os defeitos passam a ser prioridades em diminui-los, as qualidades fica a promessa de multiplicá-las.
Neste dia, não gosto que certas pessoas se esqueçam do meu aniversário, digam que estou velha ou que tenha de trabalhar.
Hoje faz exactamente 16.060 dias que nasci. Dias que carregam histórias verídicas, umas que parecem tiradas de livros infantis, outras de filmes para adultos…
Se quero prendas hoje? Claro! Vou receber algumas como é óbvio, mas as melhores, serão sempre aquelas feitas de carne e osso, acompanhadas de essências especiais, com sentimentos verdadeiros e grandes doses de companheirismo, amizade e solidariedade nos momentos menos bons.
Nos meus 43 anos estabeleci metas e objectivos, fiquei aquém deles. A nível profissional estive longe do pretendido, errei muitas vezes, cruzei sem conta os braços, tolerei situações sem limites, acreditei que os milagres ocorriam sem contribuir com a minha determinação…desta forma, o meu desejo é que os 44 anos roube os sonhos não cumpridos dos 43…e os concretize agora. Ganhar para mim é como respirar e há muito que não sinto as batidas duma vitoria, coisa que abomino.
Entrei com a “casa” arrumada neste aniversário. Fechei janelas e portas, enclausurei-me e encaixotei mágoas, emoldurei retratos, rasguei cartas com promessas não cumpridas, escrevi muito sobre mim e outras pessoas, pintei paredes de laranja, esclareci dúvidas. A todos os “porquês” obtive respostas sem reservas e omissões. Consciencializei-me de alguns sentimentos, gostares ilimitados e actos inconcebíveis.
Hoje, sinto que os finais felizes podem ser histórias por acabar, nos sítios onde se conhecem pessoas também nos podemos despedir delas…e no fim pensamos sempre como tudo começou.
Nestes anos, constatei que uma paixão pode ter a duração entre a toma dum Beneron e outro, ou entre uma e outra ida ao psiquiatra. Que posso ser a roda bem mandada na boca de alguém, que uma mão entrelaçada na minha tem o poder de estremecer um corpo inteiro. Estou ciente que para crescer não tenho de sofrer, para aprender não tenho que errar. Li em algures e arquivei no pensamento: “ vive cada dia como se fosse o último, porque um dia ele chega”, fiquei a saber que Bob Marley proferiu:” Eu não sou diferente, os outros é que são todos iguais”! Passei a “conhecer” e a gostar de Napoleão Bonaparte quando proclamou e bem:” a bravura vem do sangue, a coragem do pensamento ”. Concordo com Paulo Coelho quando li: “existe uma linguagem para além das palavras”, e tal como Salvador Dali eu sublinho: “em cada manhã que acordamos, experimentamos novamente um prazer supremo… o da existência”. Ouvi dizer que a pior morte é a nossa, que o amor pode perdoar infidelidades, mas nunca deslealdades.
Cada vez mais acredito, que basta um segundo para se desmoronar algo, que uma mentira pode prevalecer mais que uma verdade, mas…mas continuo a achar que uma verdade varias vezes dita…um dia é descoberta.
Nestes anos aprendi isto e não só como é óbvio…e com o passar dos tempos, também fiquei a saber, que fazer anos é tirar mais um ano há nossa vida, mas mesmo assim…gosto de os fazer…e fica a promessa que me vou fazer feliz.
Hoje, dia 15-01-2010 levantei-me cedíssimo, fui tomar o meu café lá abaixo e decidi ir pelo elevador, sim porque uma vez por dia subo as escadas até ao nono andar. Mas hoje, o elevador está especialmente apetecível, ele não anda… desliza. Parece que faz questão de me transportar serenamente de andar para andar. Se calhar nos outros dias também, mas eu nem reparava. Desculpa elevadorzinho J
Agora vou direitinha para um lugar ideal e já estou atrasada…o ginásio, cuidar do corpo e da mente.
Hoje estou de parabéns… é o meu aniversário…faço 44 anos!
Hoje vou beber não para esquecer alguma coisa… mas para lembrar tudo.
Já desejaram viver para sempre? Eu já! E hoje posso tudo.

Um beijo da Kotinha ás minhas pessoas especiais :)

3 comentários:

  1. Nossa me arrepiei vo fazer 44 tBm uauuuuu

    ResponderEliminar
  2. Todas as idades são boas:) Obrigada por ter passado por aqui.

    ResponderEliminar
  3. Todas as idades são boas:) Obrigada por ter passado por aqui.

    ResponderEliminar